ORCID na América Latina: Uma Atualização

Gabriela Mejias's picture

ORCID continua reunindo apoio na América Latina. 2017 foi um ano muito produtivo, e estamos muito satisfeitos por compartilhar algumas realizações importantes com vocês.

Integrações e adoção do ORCID

Nossos membros na América Latina expandiram suas integrações em 2017, possibilitando que mais pesquisadores usem suas  iDs em seus processos de trabalho de pesquisa.

Em setembro, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), agência de financiamento nacional brasileira dependente do Ministério da Educação, anunciou oficialmente a adoção de iDs dentro de seu sistema de pedidos de financiamento, sistema internacional de subsídios e sistema nacional de avaliação de programas de pós-graduação. O objetivo de CAPES é poder conectar informações sobre afiliação, bolsas e publicações, acompanhar a evolução acadêmica daqueles que recebem o apoio da CAPES; e determinar o impacto de seus programas.

No setor de publicações, a SciELO anunciou que, a partir de 2019, as mais de 250 revistas  brasileiras indexadas exigirão iDs ORCID dos autores durante o processo de submissão. No momento, quarenta e cinco periódicos SciELO já estão solicitando iDs durante a submissão do manuscrito, e vários assinaram a Carta Aberta ORCID.

Uma das universidades mais prestigiadas da América Latina, membro da ORCID, a Universidade de São Paulo (USP), iniciou recentemente uma campanha para promover o registro ORCID de seus pesquisadores. A campanha foi organizada pela Vice-Reitoria de Pesquisa, juntamente com o Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBI). Até agora mais de dois mil  pesquisadores conectaram suas iDs ao SIBI.

Também concedemos as primeiras insígnias Collect & Connect na região para a Universidade de Campinas, o Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Tecnológica (CONCYTEC) e a Redalyc. É ótimo ter as primeiras implementações exemplares e esperamos que isso leve a mais organizações membros a construir integrações de alta qualidade.

Membership

O interesse na ORCID continua crescendo na região. Em 2017, demos as boas vindas a vários membros em toda a região: Fundação Oswaldo Cruz (Brasil),  Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo - CIMMYT (Mexico), Pontificia Universidade Catolica do Chile, Universidade Católica Silva Henríquez (Chile) e Universidade de Los Andes (Colombia).  Universidade da Savana (Colombia) se juntou em janeiro.

O Brasil estabeleceu o primeiro consórcio na região. Dirigido pela  CAPES, atualmente conta com  cinco membros: CAPES, Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), SciELO, e Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) como coordenador da integração. Talita Moreira de Oliveira, Coordenadora Geral de Atividades de Pós-Graduação da CAPES, diz: “a força desse consórcio é o fato de reunir os principais agentes promotores da ciência brasileira e o fato de que a integração permitirá reduzir o tempo dos pesquisadores em informar dados repetidamente em várias fontes, além de proporcionar melhoria da qualidade dos dados disponíveis, promovendo consequentemente a geração de conhecimento de forma mais sistêmica e permitindo melhor acompanhamento e definição de políticas públicas”. O consórcio desenvolverá para incluir institutos de pesquisa no Brasil, tornando-o único em incluir todos os setores da comunidade de pesquisa: agências de financiamento, uma meta-editora que representa as revistas brasileiras mais importantes e as universidades.

Eventos

Juntamente com El Colegio de México (COLMEX) realizamos nosso primeiro workshop no Mexico em outubro. Com 150 participantes e mais de 100 pessoas acompanhando  via streaming online em todo o país, o evento foi um sucesso total!  Nossos membros Redalyc e Universidade Autónoma de San Luis Potosí apresentaram suas experiência na implementação da ORCID em seus sistemas e, juntamente com o CONACYT, falaram sobre os benefícios do uso de identificadores persistentes em seus fluxos de trabalho.

Também no México, a ORCID esteve presente no evento anual Entre Pares pela primeira vez, para interagir com a comunidade latino-americana em geral e aprender mais sobre os desafios e as oportunidades da comunicação científica na região.

Em outubro, Ana Heredia,  Diretora Regional da ORCID para a América Latina, participou do Forum da Rede Nacional de Pesquisa no Brasil. Ela participou de um painel de discussão sobre os desafios e as perspectivas para a adoção da ORCID em fluxos de informação científica no  contexto nacional, com representantes da CAPES, CNPq e IBICT.

Ana Cardoso, Líder da equipe para as comunidades  nas Américas, representou a ORCID na OpenCon LatAm 2017. Esta foi uma ótima oportunidade para se encontrar e discutir com atores  regionais do acesso aberto sobre o futuro da comunicação acadêmica na América Latina.

Divulgação

Por último, mas não menos importante, recentemente adicionamos legendas em espanhol e em português em  nosso vídeo Por que ORCID?. Este recurso é publicado sob uma licença CC0 e esperamos que ajude a melhorar o entendimento da ORCID entre os pesquisadores latino-americanos.

Nosso desejo para 2018 é continuar trabalhando com vocês para a implementação da ORCID na América Latina. Estamos sempre felizes em receber seus comentários, perguntas e idéias. Entre em contato!